INFORMACÕES

Você atualizado sempre

INFORMACÕES

Você atualizado sempre

As etapas do AVCB: o passo a passo que você precisa entender!

As etapas do AVCB: o passo a passo que você precisa entender!

Quais são as etapas do AVCB?
A princípio podemos enfatizar 10 etapas do AVCB, sendo elas:

1 – Visita Técnica
Para se iniciar o trabalho é necessário realizar uma visita no imóvel para conhecer suas características, tais como, ramo de atuação, porte (área total), quantidade de pavimentos, dentre outros.
Em suma, é uma coleta de dados para avaliar cada imóvel conforme sua particularidade.

2 – Orçamento
É o valor a ser cobrado pela prestação de serviços de consultoria e elaboração de todos os documentos que compõem o projeto de incêndio. 

3 – Projeto Arquitetônico
É um conjunto de desenhos contendo informações referente ao empreendimento. É considerado no orçamento e é recomendável utilizá-lo para se elaborar o Projeto de Incêndio.

4 – Levantamento de Área
É o processo realizado quando o empreendimento não possui o projeto arquitetônico.
Dessa maneira é realizada a medição do imóvel e elaboração das plantas contendo o layout do empreendimento de forma a representar toda a área construída e utilizada.
Com isso, serão adotados parâmetros e procedimentos conforme a legislação do corpo de bombeiros.
O PPCI é um Projeto de Prevenção Contra Incêndio e Pânico.
Sendo assim ele é extremamente importante para a evolução do AVCB.

5 – Elaboração do PPCI
– Projeto de Incêndio: Documento contendo os mecanismos básicos de segurança a serem adotados para o empreendimento.
Logo então o projeto estará descrito o que o proprietário e/ou responsável pelo uso deverá realizar para se adequar a legislação vigente.
– Laudo Técnico Descritivo: É um documento complementar ao projeto de incêndio.
De mesmo modo no laudo estará descrito o memorial de cálculo de saída de emergência, informações referente aos sistemas preventivos. Sendo eles:
O sistema de iluminação de emergência, extintores de incêndio, sinalização de emergência.
Assim também nele poderá conter outros cálculos conforme as características distintas de cada edificação.
– ART – Anotação de Responsabilidade Técnica: É um documento de registo da Responsabilidade Técnica que o profissional assume ao realizar uma atividade que envolva a aplicação de seus conhecimentos profissionais.
Dessa maneira é necessário que este documento tenha garantias: do exercício legal da profissão, de veracidade das informações apresentadas, garantindo a integridade física dos ocupantes, visando a segurança e redução do risco.
– Taxa de Análise de Projeto: É um documento de arrecadação estadual (DAE).
Taxa paga ao estado pela prestação de serviços de análise de projeto realizada por um Sargento do Corpo de Bombeiros.
Ressalta-se que em alguns casos não é necessário a análise de projetos.
Neste processo o projeto é analisado para verificação de cumprimento da legislação estadual.
– Taxa de Vistoria de Projeto: Assim como como na análise é necessário pagar ao estado pela vistoria do Corpo de Bombeiros.
Esta vistoria inspeciona se as medidas impostas no projeto se encontram implantadas na edificação e se estão em conformidade com a legislação vigente.

6 – Implantação do PPCI
É o ato de se implantar as medidas de segurança descritas no projeto de incêndio.
Nesta etapa, o executor deverá adequar a edificação de acordo com as exigências mensuradas no projeto. 

7 – Visita Técnica
É a conferência realizada por uma empresa capacitada, de forma a conferir se o projeto de incêndio foi implantado na edificação corretamente.
É de suma importância a verificação de toda a execução do projeto para garantir a aprovação em vistoria e libertação do AVCB.
É recomendável que a conferencia seja realizada pela empresa responsável pela elaboração do PPCI. 

8 – Protocolo
É o procedimento adotado para encaminhar o projeto de incêndio para análise ou vistoria.
É emitido pelo corpo de bombeiros um número de protocolo do projeto para acompanhamento do processo. 

9 – Vistoria do Corpo de Bombeiros
Após a execução e implantação dos sistemas preventivos na edificação, cabe ao responsável técnico solicitar a vistoria no corpo de bombeiros para a liberação do AVCB. 

10 – Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB)
É o documento que comprova que o empreendimento possui condições seguras para abandono em caso de pânico e acesso fácil para os integrantes do Corpo de Bombeiros, além de equipamentos para combate a incêndio.
Dessa maneira o AVCB é emitido após a aprovação em vistoria do corpo de bombeiros.

Engenheiro de Segurança Contra Incêndio e Pânico

Engenheiro de Segurança Contra Incêndio e Pânico

A grande incidência de incêndios ocorridos ao redor do mundo, exigem dos profissionais de engenharia medidas construtivas corretivas a fim de preservar vidas, patrimônio e o meio ambiente.
Profissionais capacitados a identificar riscos de incêndios e explosões previnem direta ou indiretamente as tragédias que por hora ocorrem, culminando em perdas materiais, ceifando vidas e inabilitando pessoas voltarem ao mercado de trabalho.
Nesta conversa trataremos de MEDIDAS DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS PASSIVAS, você saberia identificar quais são esses sistemas?
Pois bem, as medidas de segurança passivas ou PPCI Proteção Passiva Contra Incêndio, que em sua principal função não é extinguir o incêndio, mas tornar rotas de fugas seguras e/ou evitar que este foco se propague, para assim, permitir que os responsáveis pela segurança cumpram seu dever de resgatar pessoas e conter os focos.
Estes sistemas de proteção são dimensionados a fim de compartimentar o foco e proteger as estruturas de uma edificação, este tipo de proteção não precisa de uma ação direta do agente, o simples fato de “existir” já faz com que em caso de sinistro aumente o tempo de saída dos ocupantes por exemplo, vamos falar de algumas.

COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL E HORIZONTAL
A compartimentação vertical, faz com que o incêndio não se propague horizontalmente “caminhe”. Imagine você que estamos dentro de um galpão, e lá no fundo inicia um foco de incêndio, o que gostaria que estivesse na sua frente para que evitasse sentir o calor, ver o foco de incêndio ou respirar a fumaça?
Se respondeu PAREDE DE ALVENARIA, acabou de falar de um sistema de proteção passivo PPCI vertical ou seja, evita que ele se propague em um curto espaço de tempo propiciando uma saída segura do ambiente, mas poderia ter dito também comporta ou até outro tipo de material de composição da parede, como drywall  ou vidro para exemplificar.
As medidas de proteção horizontais evitam que ele se propague verticalmente “suba”, tais como lajes, sacadas, marquises ou qualquer outra que evite sua propagação para cima é um  sistema de proteção passivo PPCI horizontal.
O assunto não se limita apenas nesse tipo de proteção passiva, pois como verão a seguir citarei alguns outros meios de proteção que poderemos utilizar.
Afastamento entre edificações
Segurança estrutural das edificações
Controle da fumaça de incêndio
Controle dos materiais de revestimento e acabamento
Controle das possíveis fontes de incêndio
Saídas de emergência bem sinalizadas
Sistema de proteção contra descargas atmosféricas Brigada de incêndio
Acesso das viaturas do corpo de bombeiros junto à edificação
Caso haja interesse podemos tratar de algum outro especificamente…
Para que não tenham duvidas quanto a compartimentação ser vertical ou horizontal, pensem no tipo do bloqueio que estão criando, pois é isso que vai definir a medida do bloqueio.

Regularização e Adequação de Projeto Aprovado Pelo Bombeiro

Regularização e Adequação de Projeto Aprovado Pelo Bombeiro

Sobre a Regularização e adequação de projeto aprovado pelo bombeiro:
A Regularização e adequação de projeto aprovado pelo bombeiro são feitos através de um mapa que traça um sistema de segurança contra incêndio, assim como, os tipos de acessórios que existirão no local e suas localizações. Tendo como benefício à proteção patrimonial, ecológica e a vida, além de contar com a redução dos custos com seguros, pois a redução dos riscos implica na redução do valor da apólice. 

Qual a finalidade da Regularização e adequação de projeto aprovado pelo bombeiro?
A Regularização e adequação de projeto aprovado pelo bombeiro têm como finalidade, após obter o AVCB - Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, fornecer a autorização de funcionamento para todo empreendimento que possua área construída igual ou superior a 750 m².

A Regularização e adequação de projeto aprovado pelo bombeiro são compostas por:
⦁ Procuração do proprietário, quando ele transferir seu poder de signatário;
⦁ Formulário de segurança contra incêndio;
⦁ Anotação de responsabilidade técnica (ART) do responsável técnico pela Elaboração do Projeto Técnico, que deve ser juntada na via que fica no Corpo de Bombeiros;
⦁ Documentos complementares solicitados, quando necessário;
⦁ Planta de risco de incêndio (implantação), em duas vias, quando necessário;
⦁ Planta das medidas de segurança contra incêndio (planta de bombeiro);
⦁ Levantamento da Estrutura de Prevenção e Combate a Incêndio;
⦁ Assessoria para regularização e adequação de projeto aprovado pelo bombeiro mais conhecido como AVCB.

Aprovação para a Regularização e adequação de projeto aprovado pelo bombeiro:
A Regularização e adequação de projeto aprovado pelo bombeiro seguem um cronograma de entrada, podendo ser alterado de acordo a cada necessidade de ocupação ou atividade temporária. Tendo como prazo determinado para analisar cada o projeto.

Site Seguro